Logo da AAO(30 anos)

Artigos e Notícias

Alimentos da Estação: fartura de morangos orgânicos e delicadeza nos cultivos
28/07/2015 19:53
Alimentos da Estação: fartura de morangos orgânicos e delicadeza nos cultivos

Agosto, setembro e outubro... além do frio que chega com o inverno, são os meses típicos de morango e outras frutas vermelhas. É a época em que o fruto ocorre naturalmente, seguindo seu sistema natural de crescimento, e que deve ser buscada pelo consumidor: alimentos da estação propiciam saúde, são mais saborosos e ricos em nutrientes!

Símbolo de fruta bastante contaminada por agrotóxicos, conforme um modelo que busca a colheita em quantidades excessivas cada vez mais baseadas em produtos químicos, o morango vem sendo resgatado por agricultores orgânicos, e hoje já pode chegar à mesa das pessoas sem veneno a preços acessíveis. Agricultores da Feira do Produtor Orgânico da AAO, como Isaias José Pereira e seu filho Mateus Pereira, mostram ser viável cultivar o morango orgânico, obter renda e ainda contribuir com o meio ambiente local.

Aqueles que desejam consumir a fruta rica em potássio e vitamina C, além de importante diurético para o organismo e aliado no combate a infecções, devem optar sempre pelo morango orgânico, no qual estes nutrientes estão disponíveis em maior quantidade.

Isaias, proprietário do Sítio Cantagalo, em Estiva, Minas Gerais, conta que a qualidade do fruto sem veneno é sentida no sabor, na aparência e cor mais intensa e no impacto visível na saúde. “Aproveito para explicar para os consumidores da Feira da AAO essa diferença, há a ideia errada de que o morango graúdo está envenenado, quando é o contrário, em geral o fruto pequeno e sem cor é que foi intoxicado, você abre a caixa e sente o cheiro de veneno”, conta Isaias, revelando o tamanho dos morangos vendidos na banca da feira, sempre aos sábados.

Com cerca de 4 mil pés em sua propriedade, ele se tornou um especialista na agricultura desse fruto delicado, cuja hora em que recebe a luz do sol é determinante do sabor adocicado e quantidade de nutrientes, podendo “cozinhar em poucas horas se pegar o sol do meio-dia”.

“Cuido da lavoura igual a um filho, mesmo quando venho à feira continuo ligado 24 horas na lavoura, é um trabalho de dedicação, que depende do jeito que planta, da água que usa, da hora que colhe. O sistema orgânico vai muito além da adubação, é o conjunto todo, o manejo do solo, a água limpa, a mata em volta, pois os bichos também ajudam a proteger o plantio”, ensina Isaias.

Há dez anos ele iniciou a conversão da área tradicional para um sistema próprio de cultivo, em que a irrigação por gotejamento é feita individualmente por muda e o fruto é colhido manualmente um a um. A delicadeza do trabalho inclui ainda a cobertura com lona branca só depois que a raiz se fixou à terra e a produção de um adubo verde específico que ele incorpora ao solo. É preciso experimentar!

Categoria(s): Agricultura Orgânica