Logo da AAO(30 anos)

Artigos e Notícias

Produtora dos "ovos felizes" leva saúde e alegria ao público da Feira da AAO
23/08/2015 12:58
Produtora dos


Galinhas de raças diferentes produzem ovos com cores e qualidades únicas, mas na barraca da produtora Inês Scarpa Carneiro, na Feira do Produtor Orgânico da AAO, os ovos em tons de azul, verde e vermelho são exclusividade de uma raça rara de galinha, atendendo a um público que busca seu valor exclusivo.

Os “ovos felizes” são trazidos sob encomenda aos sábados, para clientes que tem nome e telefone anotados num caderno de contatos especiais, a quem ela também convida para conhecer o sítio, em Cosmópolis, interior de São Paulo. Mesmo assim, é comum ver a fila de fregueses esperando ao lado da barraca, por volta das 11 horas, na expectativa de conseguir uma caixa restante, como ela conta nesta entrevista.

 

P – Como iniciou o trabalho com ovos orgânicos no Sítio Felicidade?

Inês – Trabalhava como professora em São Paulo e quando meus filhos cresceram resolvi ter meu próprio negócio, não queria sentir o “ninho vazio” e comecei a plantar no sítio, a aprender sobre agricultura orgânica me tornando voluntária da AAO. Mas decidi também procurar uma raça de galinha do quintal de minha mãe, onde brincava e sonhava um dia poder ter meu galinheiro. Quando achei a raça dos ovos coloridos passei a me dedicar à criação, compro os pintinhos com dois dias, cuido como filhos, e só depois de oito meses começam a dar ovos, que são chamados de ovos galados, fecundados pelo galo e mais ricos e saborosos.

 

P – Quais as principais técnicas que você usa para conseguir ovos com essa qualidade?

Inês – As galinhas são alimentadas com as hortaliças, milho, cana e napiê, que planto no próprio sítio, com três hectares, e às vezes levo produtos da Feira da AAO para elas. Os pintinhos ficam separados numa área específica, de onde saem jovens, com seis meses, e só então vão conviver com as galinhas mais velhas e o galo. Dormem em poleiros cobertos e para não aparecer bichos aplico óleo de neem na palha. Começamos com cem galinhas e hoje já são 500! Mas sempre estão faltando ovos pois a procura é grande.

 

P – E qual o desafio para produzir ovos orgânicos e ampliar a oferta?

Inês – É importante ter apoio de um profissional no planejamento do plantio e da criação, pois a produção orgânica vale a pena quando se vende mais. O segredo na relação com o cliente é ter sempre a mercadoria que ele procura, a maioria já sabe o que quer e compra sempre na mesma barraca, em geral o mesmo produto. Hoje trabalho com dois funcionários no sítio, os quais ajudei a formar na produção orgânica. Aliás, esse tipo de agricultura inclui justamente a preocupação social, o crescimento e a melhoria de vida dos agricultores.

 

P – Como você vê a importância do contato direto com o público na feira?

Inês – O contato com os clientes é fundamental, escutar o que eles procuram, pois sabem o que querem e na Feira da AAO conhecem quando o produto é de qualidade. Já tentei vender em supermercados, mas pedem o ovo lavado, não sabem que a galinha deixa uma proteção no ovo que ajuda a preservar o produto. Orgânicos têm que ser vendidos em feira. Organizo ainda passeios de dia inteiro no sítio, pois as pessoas querem ver as galinhas felizes, como elas vivem e porque nossas verduras são diferentes. Andamos na plantação, visitamos a criação de galinhas e explico o que é agricultura orgânica. Acredito que os ovos felizes mexem com as pessoas, tornando-as também mais felizes.

 

Para mais informações: Inês Scarpa Carneiro – Sítio Felicidade – 11 3872-0103 

Categoria(s):