Logo da AAO(30 anos)

Artigos e Notícias

Já está em aplicação o PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE SUBSTÂNCIAS COM USO PROIBIDO NA PRODUÇÃO ORGÂNICA
30/11/2015 14:57
Já está em aplicação o PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE SUBSTÂNCIAS  COM USO PROIBIDO NA PRODUÇÃO ORGÂNICA

No processo continuado de aperfeiçoarmos, cada vez mais, os mecanismos de controle para a garantia da qualidade orgânica, foi iniciado pela COORDENAÇÃO DE AGROECOLOGIA do MAPA o Programa de Monitoramento de Substâncias com Uso Proibido na Produção Orgânica. O aumento da demanda pelos produtos orgânicos e o aumento do número de pontos de venda implica, também, num aumento do risco de termos produtos convencionais sendo comercializados como orgânicos e casos de contaminação de produtos orgânicos, com substâncias proibidas, de forma intencional, ou não.


Abaixo um resumo do que é o Programa. É importante dar a maior divulgação possível sobre ele. Sabemos que isto irá contribuir para aumentar a confiança da sociedade na qualidade dos produtos orgânicos e vai auxiliar os produtores orgânicos a retirar do mercado pessoas que, de má fé, estejam usando práticas e atitudes que geram uma concorrência desleal e ainda podem comprometer seriamente a boa imagem dos produtos orgânicos, que foi alcançada pelo esforço de tantas pessoas ao longo de várias décadas.



PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE SUBSTÂNCIAS  COM USO PROIBIDO NA PRODUÇÃO ORGÂNICA

A crescente demanda por produtos orgânicos tem provocado um grande aumento do número de pontos de comercialização ofertando esses produtos. Esse crescimento, que é extremamente desejável, precisa vir acompanhado de medidas que garantam que todo o esforço feito pelos produtores orgânicos não seja perdido por contaminações, intencionais ou não intencionais, durante as fases de transporte, armazenamento e comercialização dos produtos orgânicos.

Entre os riscos de contaminação possíveis de acontecer nessas fases, podemos destacar:

- Utilização de substâncias proibidas, na produção orgânica, para higienização ou controle de insetos e ratos, em armazéns, depósitos e meios de transporte;

- Falhas na identificação e separação dos produtos orgânicos dos convencionais, nas operações de transporte, armazenamento e comercialização;

- Pessoas de má fé, que possam misturar propositadamente produtos convencionais aos orgânicos, aproveitando-se da boa imagem que têm os produtos orgânicos e, muitas vezes, preços diferenciados no mercado;

Como mecanismo de monitoramento e controle, voltado a redução do risco de que esses problemas venham a acontecer, aumentando também a possibilidade de identificação de qualquer falha na unidade de produção orgânica, que possa também levar a uma contaminação com substâncias não permitidas, estamos implantando o PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE  SUBSTÂNCIAS COM USO PROIBIDO NA PRODUÇÃO ORGÂNICA.

Este Programa tem por base a coleta rotineira de amostras, de produtos identificados como orgânicos nos pontos de venda, que serão analisadas nos laboratórios que compõem a Rede de Laboratórios de Resíduos e Contaminantes – RRC, instituída pela Portaria Interministerial MAPA/MCTI no  902/2008. Todos os produtos coletados serão objeto de identificação de  informações, que garantam toda a rastreabilidade, necessária a um possível processo fiscal decorrente da constatação da presença de sustâncias proibidas.

O Programa prevê coletas de amostras em todas as unidades da federação e, com a finalidade de ajustarmos os procedimentos e rotinas, já iniciamos sua execução em Brasília, com uma operação na CEASA-DF, no  último sábado, dia 7 de novembro de 2015.

Categoria(s): Agrotóxicos