Logo da AAO(30 anos)

Artigos e Notícias

Danone compra grupo americano de alimentos orgânicos por US$ 10,4 bi
23/08/2016 15:49

A Danone SA fechou a compra da empresa americana de alimentos orgânicos WhiteWave Foods Co. Por US$ 10,4 bilhões. O negócio vai dar à gigante francesa dos lácteos uma fatia do crescente mercado de alimentos orgânicos e mais do que dobrar sua receita na América no Norte.

A Danone informou ontem que vai pagar US$ 56,25 em dinheiro por ação da White Wave. O negócio – a maior aquisição feita pela empresa nos últimos dez anos – deve impulsionar sua linha de produtos mais sofisticada com marcas que incluem o leite Horizon Organic, o iogusrte Wallaby Organic e as saladas embaladas Earthbound Farm, que segundo a WhiteWave são líderes de mercado em suas categorias.

O anúncio ocorre quase 18 meses após o diretor-presidente da Danone, Emmanuel Faber, ter assumido o comando da empresa prometendo levá-la de volta a um crescimento sustentável, em parte reestruturando seus negócios na China e promovendo ajustes na sua unidade de produtos lácteos frescos.

As ações da WhiteWave saltaram 18,6%, para US$ 56,23, na Bolsa de Nova York, praticamente o mesmo valor da oferta apresentada pela Danone, já que os investidores apostam que a empresa pode atrair uma proposta mais alta.

“Os alimentos embalados estão sob pressão, mas o que eles estão comprando é esse produto alimentício sofisticado”, que não está na faixa inferior de preços do mercado, diz Jon Cox, analista da firma européia de serviços financeiros Kepler Cheuvreux. “Esse mercado está crescendo muito rapidamente na América do Norte e globalmente.”

É o primeiro negócio de grande porte fechado na Europa desde o referendo de 23 de junho, quando o Reino Unido votou por sair da União Européia, decisão chamada de Brexit. O resultado da votação desencadeou duas semanas de turbulências no mercado, incluindo uma acentuada depreciação da libra esterlina, que caiu mais de 10% ante o dólar.

A iminente saída britânica do bloco está gerando receios de que o apetite por fusões e aquisições diminua no Reino Unido e na Europa e que negócios em andamento possam ser adiados.

O acordo entre a Danone e a WhiteWave também indica que as multinacionais europeias estão redirecionando o foco de fusões e aquisições para a América do Norte, depois de terem priorizado por muitos anos os voláteis mercados emergentes.

“De certa forma, a Brexit reforça a lógica da transação porque ela destaca o valor de grandes negócios em locais estáveis”, disse o diretor-presidente da WhiteWave, Gregg Engles.

Nos últimos anos, a empresa americana tem obtido uma das maiores taxas de crescimento no setor, graças à demanda cada vez maior por alimentos saudáveis e orgânicos, a qual vem transformando a industria alimentícia.

Ao contrário do que ocorre em muitas grandes empresas de alimentos, as vendas da maioria dos produtos de WhiteWave crescem na faixa de dois dígitos. No ano passado, a WhiteWave registrou lucro de US$ 168 milhões e receita de US$ 3,9 bilhões.

A Danone, cujo portfólio inclui produtos como as marcas de iogurte Activia e Actimel, elevou recentemente suas estimativas para 2016, mas seu desempenho tem sido prejudicado pela desaceleração em mercados emergentes, como Brasil e Rússia.

A aquisição da WhiteWave fará com que a América do Norte responda por 22% da receita da Danone, ante 12% hoje, dando a ela melhores condições de concorrer com rivais como a suíça Nestlé SA nos EUA. "Isso nos permitirá melhorar o perfil de crescimento da Danone e reforçar nossa solidez através de uma plataforma mais ampla na América do Norte", disse Faber.

A WhiteWave surgiu de um desmembramento da Dean Foods, em 2013, e analistas especularam que ela poderia se tornar um alvo para outras empresas de alimentos. Ela também colocou o pé no mercado de fusões e aquisições nos últimos anos, comprando a empresa de alimentos nutricionais Vega e a de lácteos Wallaby Yogurt Co., em 2015.

As equipes de gestores da Danone e da WhiteWave se conhecem há 15 anos, disse Faber. Conversas sobre uma possível união ganharam força este ano, quando a Danone definiu um novo comitê executivo e deu sequência à sua reestruturação.

A oferta dá à WhiteWave um valor de cerca de US$ 12,5 bilhões, incluindo dívidas e algumas outras obrigações.

Os analistas ressaltaram que o preço pago não foi baixo. A Danone está pagando 40 vezes o valor estimado do lucro da WhiteWave em 2017, enquanto as empresas europeias do setor de consumo costumam ser negociadas pela metade desse múltiplo, diz James Edwardes Jones, analista do banco canadense RBC Capital Markets. "É um preço alto, mas obviamente eles estão comprando uma empresa com crescimento muito maior do que o do setor de consumo europeu", diz ele.

Os investidores receberam bem a notícia. As ações da Danone subiram cerca de 2% em Paris.

A Danone irá financiar a aquisição por meio de dívida e espera ampliar seu lucro operacional em US$ 300 milhões até 2020. Ela registrou lucro operacional de 2,21 bilhões de euros (US$ 2,45 bilhões) no ano passado.

Categoria(s): Notícias