Logo da AAO(30 anos)

Artigos e Notícias

Agricultura ecológica e a saúde humana - Parte 4
17/08/2011 21:18

O solo equilibrado produz alimentos balanceados, MIYAZAWA e col, do Instituto Agronômico do Paraná, em 2.001 comparou o teor de Nitrato de alfaces produzidas organicamente, convencionalmente e hidroponicamente. Os maiores indícios foram encontrados nas hidropônicas e os menores nas orgânicas. O nitrogênio é um elemento estrutural na formação das plantas e é disponibilizado para sua nutrição após passar pelo processo de mineralização realizado principalmente por bactérias do solo. No solo desvitalizado da agricultura convencional este elemento é oferecido às plantas já na forma de sal do adubo químico. Na hidroponia não existe solo apenas uma solução salina que banha regularmente a raiz das plantas! Nas duas modalidades onde a Natureza perde seu papel homeostásico a planta se vê afogada em nitrato não tendo outra alternativa a não ser absorvê-lo em excesso.

Em 1.994 o Instituto Pasteur de Lile, na França, publicou uma revisão de vários trabalhos sobre o tema observando reduções de 69 a 93% nos teores de nitrato de legumes e verduras cultivadas organicamente. Trabalhos publicados na Áustria, Holanda, Suíça e Alemanha confirmam esse achado demonstrando que o equilíbrio ambiental é um processo continente, isto é, uma vez equilubrado promove equilíbrio em todos os seus aspectos e participantes. É por essa razão que, até mesmo os aspectos sociais precisam ser considerados na produção orgânica. Um solo equilibrado produz alimentos equilibrados que equilibram os animais e homens que dele se nutrem. Esse homem equilibrado satisfeito com seu salário e condições de moradia devolve satisfação e equilíbrio ao meio ambiente. A organicidade é o princípio do equilíbrio e homeostase entre os fatores de um sistema. É um processo baseado na retroalimentação de informações que circulam adequadamente por todo o sistema ou organismo.

A agricultura orgânica almeja o equilíbrio e desenvolvimento sustentável do meio ambiente, fauna, flora e ser humano onde todos possam interagir com respeito e discriminação. A prática agrícola ecológica retoma a UNICIDADE tradicional dos primórdios da agri-cultura da espécie humana em sua fasemariarcal onde reinava a paz, o acolhimento e a harmonia, onde os valores naturais eram reverenciados como Deusas de amor incondicional. A retomada dessa prática agrícola pode se transformar numa poderosa ferramenta de resgate da Paz Mundial. Se, há cerca de mil anos, o Ocidente queimou sua unicidade nas fogueiras da Inquisição, hoje a Ciência contemporânea resgata esses mesmos valores através da observação empírica e sistemática dos fenômenos. Estamos hoje, resgatando paradigmas tradicionais. Temos a impressão que estamos vivendo sob a inspiração de um campo morfogenético que favorece a retomada da unicidade.

No campo da Nutrição também percebemos esse movimento. Dra.Walburg Maric-Dehler, primeira presidente da Associação Alemã de Acumpuntura, no prefácio de "Os 5 Elementos na Alimentação Equilibrada" (2.003) escreve: "As escolas de alimentação ocidentais são baseadas num modelo mecânico do homem. A pergunta central: 'de que substâncias o homem precisa para viver?', segue-se a recomendação de alimentos que contenham tais substâncias. Porém, mesmo depois de seguirem por muito tempo essas prescrições muitas pessoas não se sentem bem nem saudáveis. A visão energética da medicina tradicional complementa a concepção de vida físico-anatômica." Nessa abordagem os alimentos são vistos como ativadores e moduladores das funções vitais. A alimentação e a respiração são as principais fontes de energia do homem com os quais ele complementa suas energias vitais inatas.

A nutrição é o resultado da interação entre o alimento e organismo. Isto é, o mesmo alimento pode produzir efeitos distintos em pessoas diferentes em virtude de sua condição e predisposição. Portanto a lei da Organicidade também se aplica à orientação alimentar e a prescrição nutricional. A qualidade do alimento interage dinamicamente com a condição daquele que o consome. O alimento só consegue exercer totalmete seu efeito quando o organismo está em condições de assimilá-lo, separá-lo no que é aproveitável e dispensável, transformá-lo e transportá-lo aos tecidos que dele necessitam. Portanto a escolha de um alimento relaciona-se a constituição pessoal e as forças e fraquezas circunstanciais. Portanto necessita ser individualizada.

Por: Fernando Bignardi

Categoria(s): Artigos, Saúde